Como simplificar quando você ama suas coisas.

Primeiro, pare; só depois compre.

Estou longe de ser zen. Tenho aprendido na marra a ser mais desapegada graças aos hábitos destrutivos de uma das minhas gatas e, desde o início de 2010, fiz-me a proposta de consumir menos. Qualquer hora dou mais detalhes disso.

No momento, quero compartilhar um artigo do zen habits que realmente tem a ver com minhas tentativas de mudar meus hábitos de compras e que se identifica com o tal “consumo consciente”, em voga nos anos recentes, em oposição ao consumismo que reina desde os anos 90.

O artigo é este: How to simplifly when you love your stuff. Se você entende inglês, siga o link. Se não, leia minha tradução, autorizada de antemão pela política de copyleft do blog.

Nota: o conteúdo do Deusario tem todos os direitos reservados; este artigo, como foi transmitido em copyleft, é uma exceção à regra e pode ser passado adiante – só peço que faça um link para esta tradução e para o texto original.

* * * * *

“Tudo depende de você ter as coisas, ou delas terem você” – Robert A. Cook.

Nota do editor: este artigo é de Barrie Davenport, de Live Bold and Bloom.

Simplicidade. Eis uma antiga e adorável tradição espiritual que tem ganhado popularidade recentemente. Enquanto tentamos sobreviver à nossa economia errática e à ansiedade financeira decorrente, é natural buscar um estilo de vida menos arriscado – parar de gastar, reencontrar o equilíbrio, viver com leveza.

Se você lê regularmente o Zen Habits, provavelmente está interessado na ideia de simplicidade. De fato, provavelmente você já se desfez de diversas coisas materiais e vive uma vida muito simples. Pessoas que adotam esse nível de simplicidade, especialmente na terra do consumismo, são incrivelmente inspiradoras e fascinantes.

Mas sejamos realistas. A despeito de abraçarem o conceito de simplicidade, a maioria das pessoas realmente adora suas coisas e adora adquirir mais coisas. Assim como nossas atitudes acerca de uma dieta saudável, nossos sentimentos acerca de coisas materiais são complicados. Sabemos o que é bom para nós, mas simplesmente não queremos desistir do que gostamos. Nossas coisas fazem-nos sentir bem.

É possível viver uma vida simples e ainda assim amar as coisas? O quanto o desapego material realmente conta quando o assunto é simplificar?

Viver com simplicidade e desapegar-se das coisas materiais fará você sentir-se mais feliz. Há pesquisas reais e montes de histórias que confirmam isso. Mas é possível que algumas coisas materiais possam aumentar nossa felicidade, senso de contentamento e prazer na vida? Se sim, como saber quais coisas são boas e quais são ruins?

Talvez o fator decisivo seja a motivação. As coisas que você tem ou deseja ter sustentam seu ego ou elevam sua alma? Algumas coisas materiais podem dar a você um senso de calor, aconchego, beleza, memórias carinhosas ou conforto. Outras oferecem apenas aquela energia fugaz da compra.

Se você refletir com atenção sobre suas ideias e ações a respeito das coisas materiais, poderá criar um suave equilíbrio entre amar as coisas e viver com simplicidade.

Aqui vão alguns pensamentos que podem ser úteis.

1. Dê uma olhada na sua casa agora.

Vá de um cômodo a outro. Você vê coisas que nunca usa e com as quais não se importa de verdade? Por que não doá-las ou vendê-las? Limpe física e psiquicamente seu espaço removendo as “folhas mortas” ao seu redor. Alguém mais pode realmente precisar dessas coisas.

2. Examine por que você está se apegando a algo.

É uma coisa verdadeiramente útil ou significativa, ou alimenta seu ego de alguma maneira? Você a mantém só para impressionar ou outros, para sentir-se melhor ou mais importante?

3. Observe em que você gasta seu tempo.

Você tem coisas destinadas a hobbies que nunca exerce? Tem uma cozinha cheia de equipamentos, mas raramente cozinha? Se você pensa de verdade que retomará o hobby ou atividade, encaixote as coisas relacionadas e coloque-as fora do caminho até que o faça. Seja realista sobre quanto tempo você tem para usar suas coisas supérfluas.

4. Você tem uma carreira focada em coisas?

Decoradores, negociantes de carros, comerciantes e outras pessoas envolvidas em criar, comprar, vender e divulgar produtos podem ter dificuldades em desapegar-se de coisas materiais porque estão sempre cercadas pelo que há de melhor e mais novo. Há beleza e arte em muitas coisas, mas considere o seguinte: você não precisa possui-las todas para apreciá-las. Eckhart Tolle certa vez sugeriu a Oprah Winfrey que ela não comprasse tudo que gostasse ou quisesse – simplesmente apreciasse aquilo naquele instante, na loja.

5. Valorize experiências em vez de coisas.

Em geral, aquisições de experiência fornecem um prazer muito maior que aquisições materiais. A lembrança das experiências melhora com o tempo, mas aquisições materiais dificilmente podem ser pensadas em termos abstratos. Experiências também encorajam relacionamentos sociais, levando a uma felicidade duradoura. Se você está morrendo de vontade de gastar, gaste numa ótima experiência com alguém de quem goste.

6. Quando pensar nas suas coisas ou quando quiser comprar algo novo, considere estes parâmetros:

  • Isso traz beleza à vida e aquece a alma.
  • Isso contribui para uma paixão ou hobby.
  • Isso ajuda a aproximar família e amigos de uma forma criativa e significativa.
  • Isso educa e esclarece.
  • Isso torna a vida profundamente mais simples para que você possa correr atrás de coisas mais importantes.
  • Isso ajuda alguém que está doente ou incapacitado.
  • Isso é útil e necessário para o dia-a-dia.
  • Isso é parte de uma tradição importante ou é uma recordação de um evento especial.

7. Você saberá que está comprando à toa se:

  • Compra por impulso.
  • Compra para impressionar os outros.
  • Compra porque acha que merece.
  • Compra quando não pode gastar.
  • Compra apenas para substituir algo que ainda funciona ou está bom.
  • Compra porque alguém tem e você quer ter também.
  • Compra porque a propaganda seduziu você.
  • Compra porque está morrendo de tédio.
  • Compra porque comprar acalma você.

É possível equilibrar uma vida mais simples com a aquisição de coisas materiais. Você pode aproveitar as coisas sem viver como um esteta. O ponto de equilíbrio é uma questão de preferência pessoal. Perceba, entretanto, que há um ponto em que acúmulo e materialismo minam o prazer e a satisfação autênticos na vida.

Faça uma limpeza cuidadosa no seu estilo de vida atual e nos seus pertences e analise seriamente suas compras futuras. Examine com atenção suas motivações para manter ou comprar coisas. Uma vez que você permita que as coisas sirvam à sua alma, em vez de deixar-se escravizar por suas coisas, sua vida se desenvolverá segundo uma harmonia inteligente entre o que você tem e quem você é.

Imagem: thadz, creative commons.

Anúncios

Começando a Semana Em Movimento

Para começar a semana em alto-astral, quero compartilhar com vocês um vídeo que descobri recentemente, e achei MUITO bacana. É um vídeo que faz parte das celebrações do canal National Geographic (em espanhol) do Dia da Terra.

A canção se chama “Moving” e é o primeiro single do álbum “Puerto Presente”, do grupo catalão Macaco. O vídeo conta com participações de figuras famosas como Javier Bardem, Juanes, Juan Luis Guerra e Carlinhos Brown, entre outros.

Os artistas participam da campanha “Lo que tú haces cuenta” (O que você faz, faz diferença), campanha de conscientização ecológica do National Geographic. O objetivo da campanha é mostrar que pequenos atos cotidianos (como cuidar bem da sua geladeira, por exemplo) sim fazem diferença.

O vídeoclip é muito legal, a música é ótima e a letra, sensacional.

Vídeo – Moving – Macaco

Moving – Macaco – Letra Original

Moving, all the people moving,
one move for just one dream
We see moving, all the people moving,
one move for just one dream…

Tiempos de pequeños movimientos…
movimientos en reacción
Una gota junto a otra hace oleajes,
luego mares…océanos
Nunca una ley fue tan simple y clara:
acción, reacción, repercusión
Murmullos se unen, forman gritos,
juntos somos evolución

Moving, all the people moving,
one move for just one dream
We see moving, all the people moving,
one move for just one dream

Escucha la llamada de “Mamá Tierra”,
cuna de la creación
Su palabra es nuestra palabra,
su “quejío” nuestra voz
Si en lo pequeño está la fuerza,
si hacia lo simple anda la destreza
Volver al origen no es retroceder,
quizás sea andar hacia el saber…

Moving, all the people moving,
one move for just one dream
We see moving, all the people moving,
one move for just one dream

Letra Traduzida

Em Movimento

Em movimento, todo mundo em movimento
Um movimento por um único sonho
Nós vemos em movimento, todo mundo em movimento
Um movimento por um único sonho…

Tempos de pequenos movimentos…
Movimentos em reação
Uma gota junto com outra cria ondas,
depois mares…oceanos
Nunca uma lei foi tão simples e clara:
ação, reação, repercussão
Murmúrios se unen, formam gritos,
juntos somos evolução

Em movimento, todo mundo em movimento
Um movimento por um único sonho
Nós vemos em movimento, todo mundo em movimento
Um movimento por um único sonho…

Escute o chamado da “Mamãe Terra”,
Berço da criação
Sua palavra é nossa palavra,
Seu “queixume” nossa voz
Se no pequeno está a força,
Se em direção ao simples anda a destreza
Voltar à origem não é retroceder,
Talvez seja andar em direção ao saber…

Em movimento, todo mundo em movimento
Um movimento por um único sonho
Nós vemos em movimento, todo mundo em movimento
Um movimento por um único sonho…