Tristeza

Tristeza

Há horas em que a tristeza não tem nome.

Nem palavras.

Nem voz, nem silêncio, nem descanso.

Há horas.

Há tempos.

Assim. Desfigurados. Tristonhos. De medonhos sonhos tristes.

Fotos de moldura branca, uma janela aberta, o chuvisco manso lá fora. No peito.

As horas.

O tempo.

Que passou e não veio. Não disse, não trouxe, mentiu. Onde estava?

Alguém chorava. Ninguém ouviu o que não foi dito. Os olhos abertos e os lábios selados.

Umas horas.

Um tempo.

Calado. Melancólico, cansado. Triste e cabisbaixo sob tanto peso.

Que não chegou. Promessas vãs e esperanças tolas, os braços cegos carregando vazios.

E eu já não espero.

Imagem: Kr. B.

5 comentários sobre “Tristeza

  1. Tempo, tristeza
    Eu já não espero.
    Você tem sido uma companhia boa,vou aprendendo, convivendo com a sensibilidade de Nospheratt.
    Vou navegando neste oceano de palavras imagens, percepções do mundo que ampliam o horizonte. Vivemos numa torrente de compromissos é bom abrir um espaço para deixar falar as emoções.
    Abraços,
    Hertz.

  2. …eu nunca estou sozinho se por algum instante me esqueço do Pai tenho minhas memórias, o passado pode se tornar um lar me aliviando em tal momento e me fazendo encontrar a paz…

  3. Realmente, que coisa ruim é a tristeza, tem horas que fico tão triste que eu digo assim, eu não quero morrer eu quero é matar esta tristeza que esta me corroendo, me machucando. Más vai passar esta fase difícil que estou passando ta chegando ao fim. E mais uma vez parabens pelos textos tão inteligentes e bem elaborados. Nota mil. Bjos

  4. bom texto.nos faz pensar oque realmente é importante.os momentos que se foram sem dar o devido valor,ou os que esperamos criando ilusões e ansiedade e nunca aconteceram……

Os comentários estão desativados.