A Culpa é da Zel

Seis coisas que você deve saber sobre mim (e que provavelmente não vai gostar):

Pecado nº 1 – Meu signo no Horóscopo Chinês é Serpente, e sou uma digna representante da espécie: posso ser extremamente venenosa, sou rancorosa e vingativa, e não perdôo facilmente. Em minha defesa, posso dizer que nunca ataco primeiro. Tenho horror de confrontação; mas se você me chamar pra briga (leia-se, me agredir ou agredir alguém que me é caro) eu vou me defender e revidar. A partir desse ponto, não tenho pena ou remorso; me transformo em uma pessoa daninha e perigosa. No entanto, enquanto você não “pisar meu poncho”, serei a melhor pessoa que você já conheceu, aquela com quem sempre se pode contar, para as boas e para as más.

Moral da história: sou uma excelente amiga, mas não queira me ter como inimiga.

Pecado nº2 – Considero a grande maioria dos seres humanos como a raça mais estúpida que já pisou a face deste planeta, embora existam honrosas excepções (Zel, cê tá aí?). E tenho uma política de Tolerância Zero com a estupidez. Por exemplo: sabem o que pensei quando soube que o Steve Irwin morreu, picado por uma arraia? “Crocodiles don’t kill people, stupidity kill people.” Fala sério.

Pecado nº3 – Minha forma de ver a vida está baseada na espiritualidade. Não faço parte de nenhuma religião em particular, mas sigo uma espécie de “colcha de retalhos de crenças”; idéias e conceitos que fui experimentando, analisando e incorporando através dos anos, e que muda constantemente. Acho a Igreja Católica uma instituição execrável, e o fanatismo islâmico desprezível. Abomino qualquer tipo de dogma; exijo o direito de pensar, indagar, duvidar, e sigo minhas próprias regras. Acredito na Deusa – e em Deus, pois vejo os dois como diferentes aspectos da mesma coisa; mas minha relação com “Ele” é mais distante. Gosto muito das tradições da Wicca, pois a espiritualidade da Mãe Terra é o que melhor alimenta minha alma. Me interesso por tudo o que tem a ver com o esoterismo, jogo tarot e geomancia, leio e estudo muito. Tenho uma intuição bastante bem-desenvolvida, e às vezes tenho sonhos premonitórios. E não estou louca, não – pelo menos não desse jeito. 😉

Pecado nº4 – Tenho poucos amigos – me sobram os dedos das mãos para contá-los. Isso porque levei muita porrada na vida, fui traída e abandonada inúmeras vezes. Por pessoas para quem abri meu coração e minha vida, em quem confiava. Até que um dia cansei. Não confio em mais ninguém, me fechei completamente. Mesmo esses poucos amigos não conhecem mais que a parte externa de meu ser; já não permito que ninguém “passe para dentro”. Esse lugar hoje só é frequentado por meu marido e minha família mais próxima. Afetos tenho, e muito profundos; mas entregar o coração, não mais.

Pecado nº5 – Tenho tanto orgulho de alguns dos meus defeitos, quanto de minhas melhores virtudes. Me aceito por inteiro, e amo minha parte boa E minha parte má. Talvez porque muitas vezes, o que me permitiu sobreviver às agruras do caminho, foi meu lado mais escuro. O que me dá força para lutar é a raiva, a soberba, a desconfiança, a temimosia, a capacidade de usar a arma do outro contra ele mesmo, e não minha bondade. No mundo em que vivo, os bonzinhos estão fadados a serem destruídos.

Pecado nº6 – Não acredito nisso de “não julgar as pessoas”. Julgo, sim, no sentido de formar uma opinião sobre a pessoa, baseada em seus atos. Eu não “procuro o que cada um tem de melhor”; somente observo o que cada um mostra. Ninguém pode me negar esse direito; se você age como um filho da puta, cafajeste ou qualquer outra coisa, não me peça que eu julgue que você é outra coisa senão um FDP ou cafajeste. Vá se catar.

Aí estão. Não gostou? Melhor, porque eu desconfio de tudo o que agrada à maioria. Esse seria um 7º Pecado: sou uma individualista ferrenha.

Gostou e quer fazer também? É muito simples: escreva 6 coisas que o mundo deve saber sobre você, e convoque 6 blogs a fazerem o mesmo. Não vou convidar ninguém, porque acho que provavelmente não receberia resposta. Se alguém quiser aderir, me avise, que ficarei encantada em visitar outros blogs e ler as respostas.

Anúncios

Um comentário sobre “A Culpa é da Zel

Os comentários estão desativados.